Galp poupa 56 milhões de euros com refinarias mais eficientes

 Serviço. A grande produtora de energia do país está empenhada em melhorar os níveis de eficiência energética nos seus processos produtivos, mas também em oferecer soluções inteligentes aos seus clientes como fator diferenciador

Lisboa, 3/5/2016 - Nicolle Fernandes, responsável de inovação e eficiência energética da Galp energia, durante uma entrevista nas Torres de Lisboa. (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

 Nicolle Fernandes, responsável de inovação e eficiência energética da Galp Energia

 

É das empresas que mais energia produzem no país, mas é também das que mais energia consomem no seu processo produtivo. Por isso o investimento em eficiência energética está no topo das prioridades da Galp Energia.
O consumo energético diário de uma refinaria é de tal maneira expressivo que só a expectativa de poupança com o plano de eficiência que a empresa está a implementar desde 2013 especificamente para as refinarias é da ordem dos 56 milhões de euros.
Os dados foram revelados por Nicolle Fernandes, responsável da área de inovação e eficiência energética da Galp Energia, e refletem apenas as apostas da empresa no domínio da eficiência ao nível interno e no campo específico das refinarias.
A verdade é que além dos projetos com vista ao combate do desperdício nos próprios processos produtivos, que assumem valores muito expressivos, a Galp está cada vez mais empenhada em oferecer ou “vender” soluções de eficiência energética também aos seus clientes.
Se uma empresa ganha dinheiro a vender energia, não será um contrassenso criar soluções para que os seus clientes poupem energia? “O que poderia ser um contrassenso não o é porque o nosso objetivo é criar relações de médio e longo prazo com os nossos clientes: queremos que eles consumam a energia naquilo que é realmente necessário para os seus processos produtivos, e não que gastem em desperdício.” Assim resume Nicolle Fernandes a abordagem da Galp Energia, que representa também a estratégia da empresa para um elemento diferenciador forte em relação à concorrência.
“Tem sido muito compensador verificar que com as soluções que oferecemos, em parcerias com empresas como a Schneider, os nossos clientes conseguem reduzir os seus consumos energéticos em valores da ordem dos 5% a 15%.” Se estivermos a falar de grandes clientes, com altos perfis de consumo, pequenas poupanças percentuais transformam-se rapidamente em somas bastante significativas.
Aquela responsável acrescenta que o retorno do investimento costuma ocorrer antes de decorridos dois anos, o que revela uma aposta sem riscos para as empresas.
Em causa estão, por exemplo, clientes tão diversos como centros comerciais, hospitais, hotéis, indústrias dos mais variados setores e os próprios postos de abastecimento de combustível Galp.
Alguns dos projetos têm, de resto, visto o seu mérito internacionalmente reconhecido. É, por exemplo, o caso do Corinthia Hotel Lisbon, que consistiu num projeto de hotel energeticamente eficiente. Fez-se a reconversão do sistema de climatização, refrigeração e a instalação de uma central solar térmica, que permitiu uma poupança da ordem dos 2 GW/hora por ano. Este trabalho foi distinguido com o International Energy Project of the Year, nos Estados Unidos.
Outro caso em que a Galp esteve envolvida para aumentar a eficiência energética foi nos campus universitários da Beira Interior e do Instituto Superior Técnico, tendo neste último caso também sido distinguida com o prémio Projeto do Ano 2014.
Exemplos com a Schneider
Para adotar as melhores soluções às necessidades específicas identificadas quer a nível interno quer para os seus clientes, a Galp recorre a parcerias com empresas em função das suas competências.
No caso concreto de um dos planos mais ambiciosos de eficiência energética que tem em curso para as suas refinarias, o parceiro escolhido foi a Schneider Electric. Em causa está o desenvolvimento de um variador elétrico de velocidade, que permite reduzir a velocidade dos motores quando é menos necessário. Este processo está em fase de conclusão na Refinaria da Galp em Matosinhos e está a ser introduzida na refinaria de empresa em Sines.
Outro exemplo de parceria com a Schneider Electric está patente nas baterias de condensadores. Trata-se de uma tecnologia que permite anular uma parte da fatura dos custos de produção, a chamada energia reativa. Não está diretamente relacionada com a produção, mas está indiretamente e representa um custo.
“Dependendo do tipo de situação e de cliente, o retorno do investimento nesta tecnologia costuma ser inferior a dois anos, assegura Nicolle Fernandes, que assevera que “a eficiência energética é um desconto permanente na fatura”.
Para os clientes que constituem o vasto leque de revendedores dos postos de abastecimento, a Galp está apostada em oferecer soluções de poupança diferenciadoras em relação à concorrência. Podemos estar a falar tanto de poupanças ao nível da iluminação, como da refrigeração e climatização nas estações de serviço e até de sensibilização para a mudança de padrões comportamentais.
Segundo informação da companhia, as poupanças conseguidas nas estações de serviço desde que os projetos incidiram diretamente na abordagem da eficiência energética ascenderam já a valores da ordem dos 10% a 14% em Portugal e Espanha. Estamos a falar de uma fatura de eletricidade destes postos da ordem superior a cinco milhões de euros em Portugal e Espanha.

Revolução nos semáforos
Do leque de projetos de inovação, sustentabilidade e eficiência energética em que a Galp está envolvida consta também um ambicioso desafio lançado pela Câmara Municipal de Lisboa para converter mais de 20 mil semáforos de Lisboa de lâmpadas convencionais por óticas LED. Só com esta transformação, a autarquia lisboeta deverá reduzir em quase 95% os consumos nos semáforos de toda a cidade, o que equivale a uma economia de cerca de 850 mil euros por ano.
O modelo, em que a Galp concorreu em consórcio com a Vivapower Selenergy, enquadra-se no programa de efeiciência energética para o setor público Eco.AP, sendo o primeiro contrato de performance energética realizado por uma entidade pública em Portugal.
Com este projeto, a Galp Energia reforça a sua presença enquanto operador elétrico no setor do Estado, onde ganhou mais de 75 concursos públicos em 2014, assegurando atualmente o fornecimento de eletricidade a mais de 1700 instalações públicas, entre as quais todos os hospitais que depedendem diretamente do Ministério da Saúde, tribunais, prisões, instalações dos três ramos das Forças Armadas, Polícia Judiciária e outras.
Cada vez mais importante para a Galp é o setor das energias limpas, estando agora a começar a investir em parques eólicos e em centrais fotovoltaicas. Na vertente do gás natural veicular, e no investimento dos postos de carregamentop para carros elétricos, a Galp também tem alargado a cobertura nacional. Já é possível, por exemplo, fazer uma viagem entre Lisboa e Porto utilizando os postos de carrecamento elétrico nas estações de serviço da Galp, com paragens de 30 minutos ou menos.
Entre 2008 e 2009, a empresa foi a pioneira ao garantir uma rede mínima de postos de carregamento. Hoje, os responsáveis da Galp garantem que o mercado está a crescer e a solicitar mais presença destes dispositivos no território nacional.

Carla Aguiar (Texto)

Reinaldo Rodrigues (Fotos/GlobalImagens)