Investimento público induz 20 vezes mais dinheiro privado

Conceito “O nosso objetivo é promover a integração dos diversos agentes do cluster habitat no sentido de proporcionar um aumento da competitividade ao setor no seu conjunto”, disse o presidente do Cluster Habitat Sustentável, Vítor Ferreira, no encerramento da terceira conferência da Schneider Electric, que se realizou ontem no Auditório do DN.

Representando uma perspetiva institucional, o presidente da Porto Vivo – Sociedade de Reabilitação Urbana, Álvaro Santos, fez um balanço de uma década, quando as questões da reabilitação urbana no Porto se tornaram uma prioridade. “Neste período disponibilizámos 500 novos fogos, que estão a permitir trazer mil a 1500 novos residentes para o centro do Porto.” Álvaro Santos destacou o papel do investimento público de 62 milhões de euros que alavancou 1,3 mil milhões de investimento privado, gerando ainda receitas fiscais de 53 milhões. Tudo isto para concluir que nesta área da reabilitação urbana, o investimento público é indutor de mais investimento: “Por cada euro de investimento público, há 21 euros de aplicação privada.”

Ainda numa ótica institucional, Rui Fragoso, da Agência para a Energia, considerou que os clientes devem ser mais exigentes na eficiência energética dos edifícios que compram, lembrando que houve avanços desde que a lei impôs obrigações, mas, mesmo assim, o consumo de energia nas casas portuguesas fica um quarto abaixo do que seria necessário para preencher as condições de conforto. E considerou que há avanços a fazer na disponibilização de informação.